Modificações corporais: arte ou risco à saúde?

“Eles passam essa imagem de brutos, mas são as pessoas mais doces na qual eu já convivi”, diz Rodrigo, namorado de Cristiane

Cristiane Soares ostenta muitas modificações no corpo. Além das tatuagens e piercings, a piercer também possui implantes de silicone na testa. Escarificação no rosto, implante de presas nos caninos, bifurcação na língua e orelhas de elfo também fazem parte das alterações físicas. Ela fez também a controversa eyeballtattoo, procedimento de injeção de tinta na esclerótica do olho, e pratica suspensão corporal. Cada modificação em seu corpo marca uma fase da sua vida: “Eu me olhava no espelho e percebia que faltava algo. Fiz 18 anos e fui correndo me suspender. Isso foi me ajudando muito, principalmente no autocontrole”, relata Cristiane.

Cris, como é conhecida pelos amigos, entrou nesse universo alternativo aos 16 anos, quando conheceu pessoas de um estúdio próximo da fábrica de calçados onde trabalhava. Com 17, fez sua primeira tatuagem. Após muitas conversas, interessou-se pelo tema e decidiu seguir carreira como tatuadora.

Ao falar sobre a prática de suspensão corporal, Cris afirma que nunca teve problemas ao se suspender na cidade: “Já fiz algumas no Parque da Redenção e ninguém nunca falou nada nem denunciou”. Essa informação vai de encontro a grupos profissionais de suspensão, que deixaram de realizar eventos na capital e concentraram as atividades em outras cidades ou estados diferentes.

Arquivo pessoal
Cris é adepta de uma prática conhecida como suspensão corporal

A POLÊMICA EYEBALL TATTOO

A mais recente polêmica nesse universo é a eyeball tattoo. Oriunda das prisões norte-americanas, onde eram feitas com caneta esferográfica, essa pigmentação no olho é vista como perigosa, pois não há certeza sobre suas implicações no futuro.

Cris concorda com os riscos, mas diz que não se arrepende da decisão: “Só tenho uma vida”, diz. Felipe, amigo de Cris, também realizou o procedimento. Em seu caso, a tinta preta vazou e criou uma ‘olheira’ no seu rosto. Nas conversas informais, é comum histórias de pessoas que fizeram esse procedimento e acabaram tendo complicações sérias, seja por falta de cuidado na hora de fazer ou por negligência de quem realizou o procedimento.

“O fato de estas práticas serem proibidas no país acaba deixando todo o método sem controle, o que acaba por prejudicar os adeptos. Sem conhecimento, acabam por fazer essas modificações de forma muitas vezes amadora e com pessoas que não se interessam com o bem-estar dos seus clientes. Ainda assim, existem pessoas engajadas em trazer mais fiscalização e apoio ao controle maior dos estúdios”, informa Cris.

Segundo o artigo 13 do Código Civil, ‘salvo por exigência médica, é defeso o ato de disposição do próprio corpo, quando importar diminuição permanente da integridade física’, ou seja, a alteração do corpo por vontade própria de forma que diminua a integridade física é proibida.

Perguntada sobre seu limite para alterações corporais, Cristiane diz que não pretende parar: “Quero fazer ainda implantes de silicone no braço e imãs nos dedos. Quem começa não para mais”, disse ela.

REPORTAGEM: Leonardo Dutra
EDIÇÃO: Maurício Paulini

ALU201415723

Alunos Graduacao Jornalismo ZS

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: