Letícia Duarte participa de bate-papo com alunos do campus Fapa

Vencedora do Prêmio Esso de Jornalismo com a reportagem “Filho da Rua”, repórter da Zero Hora fala sobre o papel social do jornalismo

Na manhã de terça-feira, 19 de abril, o campus FAPA da Uniritter recebeu a repórter especial da Zero Hora e premiada jornalista gaúcha Letícia Duarte. No bate-papo, Letícia compartilhou com os estudantes de Comunicação Social as alegrias e as dificuldades da vida de repórter.

Às 8h da manhã o auditório Willy Engel já estava aberto e lotado. Alguns minutos antes do início da conversa, a jornalista observou os alunos enquanto conversavam, ajustou os últimos detalhes técnicos e conversou com um dos professores da UniRitter. Sem dar chance para que os presentes se dispersassem, poucos minutos depois, rompeu o burburinho com um suave “bom dia” e começou sua apresentação.

Alberi Neto/AGEX FAPA
Depois do bate-papo, Letícia tirou as dúvidas dos alunos sobre a rotina no jornalismo (Foto: Alberi Neto)

A repórter apresentou diversos materiais, destacando o desafio de persistir em uma pauta social e a importância da sensibilidade jornalística no desenvolvimento da reportagem. Segundo ela, é difícil estabelecer a separação entre o envolvimento e a indiferença, não é simples ajudar somente até o limite do profissionalismo. Por outro lado, é essencial ser humano, antes de ser apenas repórter. Sobre a reportagem Filho da Rua, a jornalista disse ter sido muito desencorajada, até mesmo por colegas de redação, a prosseguir e concluir a matéria, por ser um assunto “bitolado”. Em resposta, Letícia disse: “Se ainda existe é porque ainda é pauta”, ressaltando a responsabilidade do jornalista como farol da sociedade.

Após compartilhar muitas de suas experiências, Letícia respondeu perguntas de estudantes e professores. Falou sobre novos projetos e tirou fotos com o público. Depois do evento, os alunos saíram ainda mais inspirados e motivados. A jornalista ainda permaneceu no auditório conversando com alguns estudantes, dando dicas de como identificar pautas e, sobretudo, incentivando o olhar atento dos futuros jornalistas com a sociedade em que vivem. Ressaltou que uma matéria pode acontecer e, acontece, em qualquer lugar, a todo momento. Para Letícia, a notícia depende, acima de tudo, do olhar humano que há no jornalista.

REPORTAGEM: Lúcia Haggstrom

ALU201521922

Alunos Graduacao Jornalismo FAPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.